Entrevista

Envie para um amigoImprimir

Silvana Salerno

Leitura para crianças

A autora e adaptadora de livros infantis Silvana Salerno* conta por que escreve para crianças e ressalta que a leitura é uma forma de educação

Por Cynthia Costa


Foto Arquivo Pessoal
"O grande lance da literatura é que ela ensina sem ser didática, ensina sem se propor a ensinar." Silvana Salerno

A concorrência com a TV, a internet e o videogame é grande, e os livros acabam muitas vezes esquecidos pelas crianças de hoje. Por isso, mais do que nunca, é hora de pais e professores se engajarem a favor dos livros. O exemplo é o primeiro passo: adultos que leem instigam as crianças a fazerem o mesmo. Além disso, é preciso apresentar a leitura aos pequenos como uma forma especial de entretenimento, e não como uma obrigação escolar.

 

"A leitura nos ensina a falar e a escrever e abre um mundo de infinitas possibilidades"

 

Lendo boas histórias, a criança aprende sem perceber e ainda se diverte e sonha. Na entrevista a seguir, a escritora Silvana Salerno defende como a leitura pode nos transportar para outros lugares - uma verdadeira viagem sem sair do lugar. Em 2009, ela teve o prazer de ser a escritora adotada pelo programa Adote um Escritor, da Câmara do Livro de Porto Alegre, e de ter sua obra lida por jovens internos da Febem da capital gaúcha. Além de autora de livros infanto-juvenis, como "O Aluá do Macaco e Outras Macaquices" (editora DCL), Silvana é especializada em adaptar narrativas clássicas para crianças e jovens, o que acaba de fazer com "Alice no País das Maravilhas", de Lewis Carroll, e com "Os Três Mosqueteiros", de Alexandre Dumas.

 

A seguir, ela também fala sobre o processo de adaptação, e por que é importante que as crianças entrem em contato desde cedo com essas versões modificadas. Confira.

 

Em sua carreira, por que a opção de escrever para crianças e jovens?

 

É o meio no qual me sinto mais à vontade. Escrever para jovens e crianças foi uma coisa natural, não foi pensada. Foi acontecendo.

 

Você acredita que a leitura seja uma forma de educação? Por quê?

 

A leitura é altamente educativa. A literatura nos ensina a falar e a escrever. Ler bons livros, como os clássicos da literatura, leva a pessoa a viajar pelo mundo da imaginação e da história, da geografia, da ciência, da arte. Veja só "A Ilíada" e "A Odisseia", obras criadas há 28 séculos, que encantam e educam até hoje. Conhecer as aventuras de Robinson Crusoé, as Viagens de Gulliver, de Moby Dick, a obra de Júlio Verne e de tantos outros grandes escritores enriquece profundamente a criança.

 

O grande lance da literatura é ensinar sem ser didática, ensinar sem se propor a ensinar. É isso o que os clássicos fazem. E é a isso que me proponho nos meus livros e nas minhas traduções e adaptações.

 

Como a leitura, em sua opinião, pode colaborar para o desenvolvimento das crianças?

 

A leitura - de literatura, em especial - abre um mundo de infinitas possibilidades. Ensina a criança (e o adulto também) a conhecer o mundo e os relacionamentos humanos e, consequentemente, ensina a se relacionar com as pessoas, a enfrentar as situações da vida e a se conhecer melhor - que é um fator de fundamental importância para a autoestima e o desenvolvimento emocional da criança, possibilitando que ela se torne um adulto feliz e um profissional realizado.

 

O que você sugeriria aos professores para que eles estimulem a leitura de livros?

 

Ler em classe. Muitos professores fazem isso, e é interessante mesmo que façam. Escolhem um livro e leem um pouco por dia ou por semana durante a aula. Depois da leitura, acho interessante abrir uma roda de debate e também pedir para os alunos escreverem sobre o tema da leitura - criando uma história a partir do tema do livro, comentando a obra, fazendo paralelos, enfim, escrevendo à vontade ou de acordo com o que o educador achar mais adequado.

 

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>

Receba sempre em primeira mão nossas novidades e conteúdo exclusivo.